MBA em Auditoria, Acreditação e Gestão da Qualidade aos Serviços de Saúde

Objetivos do curso

GERAL: Formar profissionais aptos ao exercício da Auditoria, Acreditação e Gestão da Qualidade nas empresas e serviços da saúde, por meio de conhecimentos específicos para a atividade laboral.

 

ESPECÍFICOS

  • Proporcionar aos estudantes estudo e discussão dos princípios teórico-práticos que norteiam a Auditoria, Acreditação e Gestão da Qualidade.
  • Formar profissionais para conhecer e identificar as demandas de Auditoria, Acreditação e Gestão da Qualidade nas empresas e serviços de saúde.
  • Compreender o compromisso do especialista como agente da mudança, através da aplicabilidade prática da Auditoria, Acreditação e Gestão da Qualidade.
  • Conciliar o conhecimento teórico com a sua aplicação prática, de maneira eficiente e objetiva.
  • Oferecer conhecimento mais aprofundado sobre os temas de afinidade do setor, de modo que os profissionais possam responder às demandas.

INVESTIMENTO

CURSO COM 30% DE DESCONTO CURSO COM 30% DE DESCONTO

DE 16x DE R$374,45

POR 16x DE R$262,11

PAGUE A MENSALIDADE ANTES DO VENCIMENTO E GANHE +05% DE DESCONTO

 

  • Carga horária

    Carga horária

    O curso tem carga
    horária de 420 horas.
  • Certificação

    Certificação

    Ao final do curso você receberá seu certificado.
  • Acessibilidade

    Acessibilidade

    Assista as aulas de qualquer dispositivo.
  • Disponibilidade

    Disponibilidade

    Tempo de acesso é deimediato ao realizar a inscrição.

Unidade 1 – Conceitos de Políticas Públicas

1.1 Formulação das Políticas

1.2 Políticas em saúde no Brasil

Unidade 2 – Sistema Único de Saúde (SUS)

2.1 Princípio da Integralidade em Saúde

2.2 Princípio da Universalidade em Saúde

Unidade 3 – Princípio da Equidade em Saúde

3.1 Princípio da Regionalização no SUS

3.2 Princípio da Participação Particular em Saúde

Unidade 4 – Descentralização da Administração do Sistema de Saúde

4.1 Subsistema de Atenção ao Indígena (silvícola)

4.2 Teoria da capacidade aplicada ao índio

4.3 Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas

4.4 Sistema de Bancos de Sangue

4.5 Regulamentação da saúde no Brasil

Unidade 5 – Direito à Saúde na Constituição Federal de 1988

5.1 Política Nacional de Medicamentos do SUS

5.2 Responsabilidade do Estado e direito à saúde no Brasil

5.3 Responsabilidade civil

5.4 Excludentes de responsabilidade civil

5.5 Responsabilidade Civil do Sistema de Saúde

Prof. Msc. Michel Canuto de Sena – http://lattes.cnpq.br/2121160985935943

Capítulo 1 – Auditoria interna e metodologias de controles internos

1.1 Conceitos, Natureza, Formas e Produtos

1.2 Metodologias e estruturas

1.3 Introdução à Auditoria em Saúde Pública e Privada

Capítulo 2 – Gestão nos Sistemas de Saúde

2.1 Sistemas de saúde brasileiros: públicos e privados

2.2 Políticas Públicas de Saúde

2.3 Política Nacional de Regulação do SUS

2.4 Estado e Consumidor

Capítulo 3 – Processo de Auditoria na Saúde

3.1 Conceito de auditoria em saúde

3.2 Principais regulamentações da Agência Nacional de Saúde (ANS) e Sistema Nacional de Auditoria (SNA)

3.3 Indicadores assistenciais e de qualidade do serviço de saúde ao público.

Capítulo 4 – Gestão de Custos em Saúde

4.1 Conceitos e métodos de apuração

4.2 Planejamento e controle de custos nas empresas de saúde

4.3 Regulamentação orçamentária, econômica e financeira

Capítulo 5 – Avaliação da qualidade da prestação de serviços de saúde

5.1 Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde (PNASS)

5.2 Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB)

5.3 Programa de Qualificação de Operadoras da Agência Nacional de Saúde Suplementar: avaliação de desempenho das operadoras, dimensões do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS)

5.4 Pesquisa de Satisfação de usuários

Profa. Msc. Renata Farias Ferreira da Silva – http://lattes.cnpq.br/6029877389383928

Profa. Dra. Paula Cristhina Niz Xavier – http://lattes.cnpq.br/2602668207216967

Capítulo 1: Bioética na auditoria. 1.1 Evolução cronológica e conceitual. 1.2 Os valores inseparáveis da profissão: ética e qualidade da auditoria. 1.3 Implicações éticas do Termo de Consentimento. 1.4  Princípios e normas éticas e profissionais.

Capítulo 2: Perfis e competências profissionais do auditor. 2.1 Características Específicas do Auditor. 2.2 Sigilo profissional. 2.3 Responsabilidade civil do profissional de saúde.

Capítulo 3: A importância do conhecimento do paradigma sistêmico. 3.1 Responsabilidade Social. 3.2 Stakeholders. 3.3 Transparência. 3.4 Governança Corporativa.

Capítulo 4: O Processo de Auditoria e suas vertentes. 4.1 Histórico da auditoria e Conceito de auditoria em saúde. 4.2 Contextualização e aplicabilidade das etapas e fases da auditoria – Auditoria Interna e Externa. 4.3 Tipos de auditoria. 4.4 Impactos da qualidade dos registros da assistência prestada pela equipe multiprofissional.

Capítulo 5: Principais Legislações que envolvem o processo de Auditoria. 5.1 O sistema de saúde brasileiro e a auditoria: público e privado. 5.2 Prontuário do paciente. 5.3 Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). 5.4 Auditoria e suas categorias profissionais. 5.5 Principais regulamentações.

Profa. Dra. Paula Cristhina Niz Xavier – http://lattes.cnpq.br/2602668207216967

Capítulo 1. CONTABILIDADE DE CUSTOS. 1.1. Classificação da Contabilidade. 1.1.1. Contabilidade financeira. 1.1.2. Contabilidade gerencial. 1.1.3. Contabilidade de custos. 1.2. Distintas abordagens da Contabilidade de Custos. 1.2.1. Custos no Setor público – Fundamentação legal e objetivo. 1.2.2. Custo no setor privado – custo para maximizar lucro x público – custos para atendimento bem estar social). 1.3. Princípios contábeis aplicados à Contabilidade de Custos. 1.3.1. Da realização da receita. 1.3.2. Dos custos históricos. e. Consistência. 1.3.3. Prudência. 1.3.4. materialidade. 1.4. Custos no setor saúde – 1.4.1. O uso da informação de custos no setor saúde. 1.4.2. Fundamentações legais na exigência de custos na saúde. 1.4.3. Lei 8080/90. Lei de responsabilidade fiscal, Carta do Usuário do SUS). 1.5. Sistemas de Informação em Saúde. 1.5.1. Programa Nacional da Gestão de Custos (PNGC). 1.5.2. Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (SIOPS).

Capítulo 2. GESTÃO DE CUSTOS. 2.1. Principais Conceitos. 2.1.1. Gastos, investimento, custo, despesas, depreciação, perdas, desembolso, recebimento. 2.1.2. Classificação dos Custos e Despesas. 2.1.3. Quanto ao comportamento – Custos fixos, custos variáveis. 2.1.4. Quanto à aplicabilidade – custos diretos, custos indiretos. 2.2. Métodos Tradicionais de apuração de custeio. 2.2.1. Custeio Direto. 2.2.2. Custeio por Absorção. 2.3. Métodos Contemporâneos de Gestão de Custos. 2.3.1. Custeio ABC. 2.3.2. Teoria das restrições (TOC). 2.3.3. Teoria dos Custos de Transação.

Capítulo 3. ESTRATÉGIA E A IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CUSTOS EM ORGANIZAÇÕES DE SAÚDE. 3.1. A implantação de sistema de custos em organizações de saúde. 3.1.1. Considerações para implantação. 3.2. Ações necessárias para implementação de um sistema de custos. 3.2.1. Ações Estratégicas. 3.2.2. Ações Táticas. 3.2.3. Ações Operacionais. 3.3. Etapas da implementação do sistema de custeio por absorção em organizações de saúde. 3.4. Roteiro para elaboração de estudos de custos em saúde.

Capítulo 4. USO DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS NO SETOR SAÚDE. 4.1. Custo como instrumento de gestão na saúde. 4.2. Fundamento de Avaliação econômica em saúde. 4.2.1. Microcusteio. 4.2.2. Avaliação Econômica em Saúde. 4.2.3. Avaliação Impacto Orçamentário. 4.3. Custos como metainformação – custo para decisão. 4.3.1. Gestão estratégica de custos. 4.3.2. Conceitos de custos para a tomada de decisão, avaliação e controle. 4.4. Gestão Estratégica de Custos. 4.4.1. Análise de relatórios gerenciais.

Capítulo 5. ECONOMIA DA SAÚDE E O USO DAS INFORMAÇÕES DE CUSTOS. 5.1. Fundamentos de Economia da Saúde. 5.2. O SUS: Fundamentos, Legislação. 5.3. Financiamento da Saúde. 5.3.1. Abordagem macroeconômica – entrada de recursos. 5.3.2. Abordagem microeconômica – Gestão de recursos financeiros. nos sistemas e serviços de saúde. 5.3.3. Judicialização da saúde e seus impactos. 5.4. SUS e a gestão financeira dos recursos.

Prof. Dra. Márcia Mascarenhas Alemão – http://lattes.cnpq.br/5945356143860568

Capitulo 1 Avaliação em Saúde e Qualidade. 1.1 Avaliação em Saúde. 1.2 Sistemas de Informação em Saúde: indicadores em saúde. 1.3 Introdução à qualidade: conceituação e objetivos. 1.3.1 Fluxos e processos. 1.4 Programas de Acreditação.

Capítulo 2 Auditoria em Saúde (contexto do prestador e da operadora/gestor). 2.1 Auditoria em saúde. 2.2 Tipos de auditoria: Aspectos conceituais e metodológicos. 2.3 O papel do auditor na organização: monitoramento e avaliação da auditoria hospitalar. 2.4 Estrutura e atribuições dos auditores. 2.5 Instrumentos e ferramentas de trabalho do auditor.

Capítulo 3 Auditoria – Operacional e Gerencial. 3.1 Instrumentos de credenciamento de serviços em saúde. 3.2 Principais diferenças entre Auditoria em Sistemas Públicos e Privados de Saúde. 3.3. Sistema de Saúde Suplementar – Agência Nacional de Saúde Suplementar. Capítulo 4 Custos da assistência em saúde. 4.1 Prontuário do paciente: aspectos éticos e legais. 4.2 Auditoria de contas médica: hospitalar e ambulatorial. 4.3 Custos e classificação das órteses e próteses. Capítulo 5 Contratualização e regras de negócio. 5.1 Compliance em Saúde. 5.2 Contratos e negociações hospitalares.

Profa. Msc. Adaiele Lucia Nogueira Vieira da Silva – http://lattes.cnpq.br/2721889866984095

Capítulo 1: Introdução à Auditoria. 1.1.Fundamentos de auditoria na saúde suplementar: aspectos históricos e conceituais. 1.2.Ética e legislação aplicada no processo de auditoria. 1.3.Auditoria em procedimentos ambulatoriais e contas hospitalares na saúde suplementar: processo de trabalho e rotinas. 1.4.Tipos e técnicas de auditoria em saúde. 1.5.Auditoria interna e auto avaliação dos Processos nas Instituições de Saúde. 1.6.Competências do auditor em saúde

Capítulo 2: Manual de auditoria em saúde, credenciamento e contratos. 1.1.O manual de auditoria em saúde: regras técnicas e sua importância. 1.2. Terminologias e tabelas em auditoria – tabela CBHPM: instruções gerais, forma de remuneração: portes de procedimentos, portes anestésicos e UCO. 1.3.Apresentação e manuseio das tabelas de remuneração mais utilizadas: tabelas próprias, Brasíndice e Simpro. 1.4. Principais insumos que compõem a conta: diárias e taxas (sala – equipamentos – serviços), gasoterapia, materiais e medicamentos e pacotes. 1.5.Credenciamento e negociação de contratos.

Capítulo 3: ANS: Agencia Nacional de Saúde Suplementar. 1.1.Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS): atribuições e competências – leis nº 9.656/98 e 9.961/2000. 1.2.Rol da ANS vigente. 1.3.Resoluções Normativas (RN) e Diretrizes de Utilização (DUT). 1.4.Aplicação prática do padrão TISS e preenchimento das guias. 1.5.Judicialização na saúde.

Capítulo 4: Auditoria para Assistência – teoria e pratica. 1.1.Auditoria e faturamento hospitalar. 1.2.Auditoria em operadoras de planos de saúde. 1.3.Autorização de procedimentos. 1.4.Estratégias para redução de glosa: notificação à parte contrária para ações corretivas. 1.5.Contra auditoria e recursos de glosas.

Capítulo 5: Praticas Avançadas em Auditoria. 1.1.Auditoria em OPME e DMI. 1.2.Auditoria em Home Care. 1.3.Fraudes em serviços de saúde. 1.4.Relatórios e indicadores na auditoria em saúde. 1.5.Saúde e auditoria baseada em evidências. 1.6.Auditoria gerencial e compliance.

Capítulo 1: Procedimentos Preparatórios para Realizar Auditoria em Procedimentos de Alta Complexidade. 1.1 Considerações iniciais. 1.2 Fase Analítica. 1.3 Fase Operativa.

Capítulo 2: Auditoria em Procedimentos Ambulatoriais de Alta Complexidade I. 2.1 Procedimentos relacionados à Rede de Assistência ao Paciente Oncológico.

Capítulo 3: Auditoria em Procedimentos Ambulatoriais de Alta Complexidade II. 3.1 Procedimentos relacionados à Rede de Assistência ao Paciente Portador de Doença Renal Crônica.

Capítulo 4: Auditoria em Procedimentos Hospitalares de Alta Complexidade I. 4.1 Procedimentos relacionados à Cardiologia.

Capítulo 5: Auditoria em Procedimentos Hospitalares de Alta Complexidade II. 5.1 Procedimentos relacionados à Traumatologia e Ortopedia.

Profa. Msc. Tenile Carvalho Coelho – http://lattes.cnpq.br/9443836588305503

Capítulo 1: Origens e conceitos da acreditação nos serviços de saúde. 1.1 Origem da acreditação em saúde

1.2 Os 5 requisitos mínimos do Minimum Standard. 1.3 Conceitos e as diferenças entre a acreditação, credenciamento e licenciamento de serviços de saúde.

Capítulo 2: Acreditação Nacional. 2.1 Modelos de Acreditações e o modelo de acreditação nacional no Brasil. 2.2 Legislações que apoiam os processos de acreditação. 2.3 Instituições acreditadoras

Capítulo 3: Metodologia da Acreditação. 3.1 Instrumento de avaliação (seções, subseções e níveis). 3.2 Estrutura do Manual de Padrões de Acreditação da Joint Commission International para hospitais. 3.3 Estrutura do Manual Brasileiro de Acreditação.

Capítulo 4: Processos de avaliação. 4.1 Processo de avaliação em organizações acreditadoras. 4.2 Constituição da equipe de avaliadores. 4.3 Preparação para avalição. 4.4 Visita e Término do processo de avaliação.

Capítulo 5: Segurança e Acreditação. 5.1 Segurança do paciente. 5.2 Relação entre segurança do paciente e acreditação. 5.3 Benefícios do processo de Acreditação.

Profa. Esp. Suênia Ferreira de Sousa – http://lattes.cnpq.br/6436006653974586

Capítulo 1: Política Nacional de Regulação do SUS. 1.1 Introdução. 1.2 Regulação de sistemas de saúde. 1.3 Regulação da atenção à saúde. 1.4 Regulação do acesso.

Capítulo 2: Instrumentos de gestão da clínica para a regulação do acesso. 1.1 Regulação do sistema público. 1.2 Regulação do sistema privado. 1.3 Regulação do sistema de saúde suplementar.

Capítulo 3: Complexo regulador e Centrais de Regulação. 1.1 Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade (CNRAC). 1.2 Central Estadual de Regulação de Alta Complexidade (CERAC). 1.3 Tratamento Fora de Domicílio (TFD). 1.4 Núcleo Interno de Regulação. 1.5 Regulação no contexto das urgências e emergências, da estrutura hospitalar e ambulatorial.

Capítulo 4: Referência e contrarreferência. 1.1 Transferências e transporte de pacientes. 1.2 Contrarreferência aos serviços de Saúde. 1.3 Pactuações. 1.4 Contratualizações. 1.5 Grade de referência.

Capítulo 5: Sistemas informatizados para regulação. 1.1 O contexto atual da Regulação e a situação da judicialização da saúde. 1.2 SISREG. 1.3 Central de regulação ambulatorial. 1.4 Central de internação hospitalar. 1.5 Autorização de procedimentos de alta complexidade (APAC).

Profa. Dra. Kelly Lopes de Araujo Appel – http://lattes.cnpq.br/2087310248259232

Capítulo 1: Auditoria em procedimentos ambulatoriais e contas hospitalares. 1.1 Fase analítica e operativa. Sistema de Captação, Processamento e Relatórios dos Sistemas de Informação Ambulatorial (SIA/SUS) e Hospitalar (SIH/SUS).

Capítulo 2: CMD – Conjunto Mínimo de Dados. 2.1 Etapas de implantação CMD 2.2 Mudanças no processo. 2.3 Estrutura do CNES e SIGTAP/ RTS. 2.4 Importância do Sistema de Regulação/ SISREG. 2.5 Instrumentos de registro do SIA/SUS – BPA-C; BPA-I; RASS e APAC. 2.6 Instrumentos de registro do SIH/SUS: AIH (principal, especial e secundário).

Capítulo 3: Especificidades dos Manuais Operacionais. 3.1 Mudança de procedimento, emissão de nova AIH na mesma internação, procedimentos múltiplos, sequências e politraumatizados, registro de diárias, CID x procedimento e procedimento x quantidade máxima, compatibilidades, validade da APAC, entre outros.

Capítulo 4: Profissional solicitante, autorizador, executante e auditor. 4.1 Fluxo, rotinas e principais dilemas. 4.2 Fluxo do processamento (sistemática e relatório de consistência) e pagamentos: rejeições e bloqueios. Desafios do faturamento. Contra-auditoria.

Capítulo 5: Análise de contas hospitalares do SUS e sua relação com as glosas (rejeições e bloqueios) e recursos de glosas/contra-auditoria. 5.1 Processo/fluxo prático de auditoria e faturamento de contas hospitalares (assistências ambulatorial e hospitalar no SUS). 5.2 Contexto prático da utilização dos Sistemas de Informação em Saúde relacionados à temática. 5.3 Simulação realística.

Profissionais graduados nas áreas de saúde, enfermeiros, nutricionistas e demais profissionais da área da saúde com interesse em atuar na Auditoria, Acreditação e Gestão da Qualidade aos Serviços de Saúde..

Fale Conosco pelo WhatsApp
preloader